Search
  • Antonio Pietrobelli

Em janeiro, aluguel poderá ser reajustado em 23,14%


O contrato de aluguel em andamento, com aniversário em janeiro e reajuste pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), poderá ter seu valor atualizado em 23,14%. Com a alta de 0,96% no mês de dezembro, fecha-se o comportamento dos preços no período de 12 meses compreendido entre janeiro de 2020 e dezembro de 2020.

O IGP-M é eleito como um dos principais indicadores para reajustes contratuais por ser divulgado ainda dentro do mês de referência. Para facilitar o cálculo do novo aluguel, o Secovi-SP (Sindicato da Habitação) divulga mensalmente o fator de atualização, que, no caso, é de 1,2314. Para atualizar um aluguel de R$ 1.500 que vigorou até dezembro de 2020, realiza-se a multiplicação de R$ 1.500 por 1,2314, que resultará em R$ 1.847,10 a ser pago no final do mês de janeiro ou início de fevereiro de 2021.

Segundo levantamento da Datastore, intitulado Datastore Series, no último mês de dezembro, 13,4 milhões de famílias brasileiras disseram que pretendiam comprar um imóvel nos próximos 24 meses, o maior patamar registrado no século XXI.

“Já com 212 milhões de habitantes (segundo o IBGE), o Brasil atinge o maior patamar do século 21 em famílias interessadas em adquirir imóveis, são 13,4 milhões e o grande impulsionador, agora, é a retomada da atividade econômica e a geração consistente dos empregos desde o mês de setembro até o fim do ano”, afirma Marcus Araujo, CEO e fundador da Datastore.

Segundo ele, “motivos não faltam para este cenário: as famílias se mantiveram em casa, gastando menos e acumulando poupança. Além disso, a geração de empregos no último trimestre de 2020 e o sucesso de vendas dos imóveis ao longo do ano também contribuíram para gerar a maior demanda dos últimos 20 anos em quantidade de famílias interessadas em adquirir imóveis em 2021 e 2022. A pandemia trouxe as pessoas para dentro do imóvel, a superexperiência trouxe novas necessidades, as despesas das famílias baixaram, gerando reservas e muitas compras de imóveis. Os compradores de imóveis imediatos – aqueles que tomam a decisão em até 12 meses – onde predominam investidores e compradores de imóveis na planta (lançamentos), agora são 7,65 milhões de famílias, prometendo muitas vendas já para o primeiro trimestre do próximo ano”.

3 views0 comments

Recent Posts

See All

Ano de 2021 deve ter safra recorde de grãos

O Brasil deve registrar, em 2021, safra recorde de cereais, leguminosas e oleaginosas, segundo estimativa de janeiro do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a previ

Bancos demitem mais de 10 mil trabalhadores

Os três maiores bancos brasileiros (Itaú-Unibanco, Bradesco e Santander) demitiram mais de 10 mil trabalhadores durante a pandemia, denuncia a Centra Única dos Trabalhadores (CUT). No ano passado,